Cobertura Oficial : AnimaX 2016

Cobertura Oficial : AnimaX 2016

725
0
COMPARTILHE

AnimaX 2016 : Como o evento se reinventou e acertou diante das adversidades.

No dia 19 de Junho aconteceu na cidade de João Pessoa, capital da Paraíba, mais uma edição do AnimaX.

Nós da AnimeSun fomos convidados a participar do evento que já é tradicional no calendário de eventos de cultura pop da capital paraibana.

Primeiras Impressões:

Este ano acredito que muitos estavam apreensivos com o evento.

O AnimaX tradicionalmente era realizado na Usina Cultural da Energisa, era um local que a equipe do evento já sabia trabalhar com maestria, ocupando cada espaço e a cada edição melhorando a estrutura do evento.

Em 2016 porém, devido a Energisa ter restringido a realizações de eventos de cultura pop, o AnimaX se viu surpreendido com a mudança de local após anos acostumado com um mesmo local. Foi assim que a organização anunciou o evento no Colégio Lyceu Paraibano.

Por ser um colégio, muitas pessoas têm certo preconceito, com medo de que o evento seja pequeno ou pareça amador por conta do espaço físico. Bom, não foi o que aconteceu com o AnimaX.

Pelas dificuldades da mudança e da remarcação de dia, algumas falhas graves eram esperadas para o evento, o que não aconteceu. O AnimaX apresentou problemas simples e comuns, facilmente solucionáveis em uma próxima edição.

O evento ocupou o primeiro andar do colégio Lyceu, no auditório, sabiamente, havia um telão para que os jogadores de LoL disputassem suas partidas, o campeonato aliás contava com uma boa premiação, muitas das pessoas que perguntei pessoalmente se mostraram satisfeitas.

Mais à frente haviam salas, de excelente espaço e estrutura física, que dividiam as áreas em tema, como Maquiagem, Karaokê, K-Pop Stage e Camarim, todas em um mesmo corredor. Vale a pena ressaltar, em uma próxima edição a organização pode investir melhor nessa divisão, programando atrações nas salas para que foque parte do movimento ali.

Ao final deste corredor haviam banheiros e um bebedouro de fácil e livre acesso, um ponto positivo, principalmente pelo bebedouro, algo que falta em outros eventos que exploram até a venda de água como forma de lucro.

Alimentação e Produtos à venda em estandes:

Continuando e saindo do corredor com salas temáticas, temos uma área aberta, com uma pequena praça, farta de locais para se sentar ás sombras de árvores. Um excelente local para uma praça de alimentação. Contudo, algo que não se restringe apenas ao AnimaX, mas a outros eventos de pequeno e médio porte em João Pessoa, há uma pequena variedade de alimentos, no caso desta edição muito restrita mesmo, uma vez que contou com apenas uma lanchonete com salgados, biscoitos, salgadinhos e bebidas como refrigerantes e água. Com um espaço tão bom como uma praça ao ar livre, a organização poderia ter dado uma atenção especial a esta área, que bem trabalhada, pode virar ponto de encontro e relacionamento dos frequentadores do evento, evitando a saída dos mesmos para comércios do lado de fora para se alimentar. No mais, os preços praticados na lanchonete do evento eram justos e esperados, nada a reclamar quanto a isso, ao contrário, se comparados com os praticados em outros eventos ocorridos este ano, estão bem inferiores e justíssimos.

Após esta área ao ar livre, temos uma rampa de acesso que leva a uma quadra poliesportiva onde foram alocados pequenos estandes com produtos à venda, um palco com aparelhamento de som, e alguns aparelhos de TV onde algumas pessoas jogavam Just Dance e outros jogos eletrônicos.

Os produtos à venda eram basicamente os padrões em eventos do gênero, iam de chaveiros a camisas, passando por action figures, DVD’s e pôsteres. Quanto ao preço dos produtos, a maioria eram “salgados”, mas pesquisando e pechinchando conseguiam-se bons suvenires por preços justos.

Cosplay e K-pop:

Mais uma vez tivemos competições de Cosplay e K-pop. O Cosplay já é tradição no evento, pudemos ver alguns cosplayers caminhando pelo evento, bem como alguns cospobres. Este ano, assim como em 2015, pudemos observar que o enfraquecimento do Cosplay na região é uma realidade.

Apesar de sempre surgirem personagens diferentes, as caras por trás deles são as mesmas, as interpretações também, o que definitivamente enfraquece a cena cosplay na Paraíba. É difícil constatar a origem dessa diminuição da categoria, em um primeiro olhar a única coisa que explicaria tal fato seria o enfraquecimento da cultura pop japonesa entre os jovens brasileiros, o que leva a um menor consumo de animes e acaba atingindo os cosplayers, talvez uma melhor premiação ou uma divulgação antecipada e massiva do concurso pelo evento fosse capaz de atrair mais cosplayers.

Contudo, apesar do desfalque entre bons concorrentes, o Cosplay ainda é influente em eventos desse tipo e não merece ser esquecido.

Quanto ao concurso K-Pop, alguns probleminhas ocorreram. Nada grave, mas problemas que devem ser solucionados em uma próxima edição. Primeiro houve atrasos nos horários do palco, assim, o concurso de solos de K-Pop começou com aproximadamente uma hora de atraso. Algumas pessoas que haviam se comprometido com o evento em avaliarem os competidores (jurados) não compareceram, e a organização teve de recorrer a algumas pessoas presentes no evento para preencherem tais posições. Tal substituição de última hora prejudica os competidores, pois por mais preparados e por dentro do K-pop que estejam, pecam pelo despreparo de julgar. Itens como coreografia e figurino ficam impossibilitados de serem julgados, uma vez que os jurados escolhidos de última hora não tiveram a oportunidade de verem as coreografias e figurinos originais para comparação.

Fora este imprevisto com os jurados do k-pop, o palco no momento do concurso de solos descolou o tapete colocado para amortecer o impacto dos competidores com o solo, o que levou os competidores a optarem por performarem no chão mesmo, o que não prejudicou em nada, mas abre espaço para que a organização do evento possa optar na próxima edição ao invés de um palco, um telão ou decoração ao fundo.

Contudo, é de se elogiar que mediante ao desafio do não comparecimento dos jurados, sem titubear, e em respeito aos competidores que compareceram e estavam ansiosos para se apresentarem, a organização manteve a competição. E tal profissionalismo foi compensado pelo público, que em grande volume se aglomerava a beira do palco.

CONCLUSÕES:

Ao final do dia de evento, foi impossível não constatar que apesar das mudanças, das dificuldades e imprevistos, o AnimaX soube trabalhar rápido e com competência, vencendo os obstáculos e entregando um evento de qualidade.

O trunfo do evento, é continuar sendo um evento de pequeno porte, onde o público consegue chegar próximo e interagir com as diversas atrações como poucos eventos em João Pessoa conseguem fazer. O AnimaX já é consolidado no calendário de eventos de cultura pop da cidade e está pronto para buscar novos investimentos, como patrocínio de programas culturais municipais e estaduais a fim de incrementarem seu line up de atrações.

Sem qualquer pré-conceito, a organização abre os braços e acolhe os diferentes movimentos dos jovens paraibanos, seja cosplay, kpopper ou gamers, todos tem seu espaço dentro do evento, interagindo em harmonia.

Se pudermos dar uma dica a organização, além das citadas pontualmente acima, seria a de aproveitar os produtores locais de conteúdo, sejam Youtubers, Gamers, Desenhistas, Escritores … Busquem integrar essas pessoas ao evento, com workshops, palestras e debates, pois são atrações não muito visadas por outros eventos, por pensarem que o público só queira o que é “de fora”. A Paraíba tem muitas pessoas atuando com, e gerando conteúdo jovem, principalmente na internet, aproximar esse nicho do evento pode dar uma nova cara e abrir novas oportunidades.

Fica nosso agradecimento por mais um ano. Saímos do evento com a vontade de ver e participar de mais, e com a curiosidade do que será preparado para a próxima edição.