Reescrevendo a História

Reescrevendo a História

727
0
COMPARTILHE

Quando se entra no mundo do entretenimento produzido na Coréia do Sul, seja mais comumente por meio do Kpop ou outras atividades como Dramas e Musicais, uma das primeiras coisas a que somos apresentados no que diz respeito à vida de um fã é o drama de ver seu Ídolo indo para o exército. O serviço militar obrigatório a todos os homens com faixa etária entre 20 e 30 anos é de longe uma das principais coisas sobre as quais quem tem um ídolo Sul Coreano detesta pensar. E a princípio você pensa “Exagero! Essas Coreanas são muito dramáticas!”, eu também pensava assim alguns anos atrás, mas logo comecei a entender que todo esse drama, que por vezes é sim exagerado, tem lá seus fundamentos.

Levemos em consideração que, diferente de como a coisa toda costuma funcionar aqui no Brasil, os Sul Coreanos não são liberados de sua obrigação com seu país de maneira alguma, não importa se são estudantes ou altos empresários. Quem não pode servir às forças militares em campo por questões de saúde por exemplo, é enviado ao serviço público e a prestação de tais serviços (em campo ou não) dura entre 21 e 25 meses.

Numa conjuntura relacionada à indústria do entretenimento o momento torna-se pesado de, pelo menos, três maneiras distintas.

Do ponto de vista das empresas, que investem amplamente em seus artistas, algumas situações de alistamento são bastante delicadas tendo em vista que a falta de atividade de determinado artista e/ou grupo afeta diretamente o rendimento da empresa, fato que de acordo com informações, vem acontecendo atualmente com a SM Entertainment após o alistamento dos artistas Shim ChangMin e Jung YunHo, que formam o duo TVXQ, além de muitos outros artistas da empresa (leia-se: boa parte do Super Junior *sad*) que estão em meio ao seu serviço militar.

De outro ângulo, pesa para os artistas. Imagine você, numa indústria tão movimentada e concorrida quanto a Indústria Sul Coreana de Entretenimento, com uma idade já considerada avançada (a faixa etária dos grupos que surgem todos os dias gira entre 16 e 20 anos) e tendo que paralisar todas as suas atividades como artista durante dois longos anos. A dificuldade de manter de forma estável essa carreira após o retorno é quase palpável.

E por fim, a situação torna-se delicada para os fãs que além de levar em conta os aspectos citados acima (principalmente o segundo), tem de lidar com o “sumiço” de seus ídolos, uma vez que muitos deles deixam até mesmo de atualizar suas redes sociais, algumas fanbases chegam a suspender suas atividades. São dois longos anos sem ver seu querido artista em programas de TV, premiações e afins, sem shows, sem músicas ou MVs novos… Ou pelo menos costumava ser assim.

Recentemente, ações que vem sendo executadas pela C-Jes Entertainment vêm chamando a atenção do público. No mês de janeiro a empresa lançou o primeiro álbum solo do artista Park YooChun, membro do grupo JYJ que está em cumprimento de seu serviço militar desde agosto do ano passado e preparou seu álbum antes do alistamento. Era seu debut solo (YooChun era o único do trio a não ter ainda um trabalho solo) e intitulado “How much Love do you have in your wallet” o álbum e o MV foram lançados sem que se fizesse as devidas promoções já que as atividades do rapaz, que cumpre seu tempo de serviço como funcionário público, estão suspensas. O lançamento causou certo estranhamento mas surpreendeu os desavisados pelos resultados que alcançou.

Ainda não satisfeita, a empresa anunciou para o mês de fevereiro o segundo álbum do cantor Kim JaeJoong, também membro do JYJ e também em serviço militar. Além do álbum, “NO.X”, fora anunciado um Hologram Concert no Japão. What? Sim, o concerto foi realizado em dois dias e o sucesso foi tanto que a empresa decidiu que era uma boa ideia repetir o show em Seul (os ingressos para ambos os dias de apresentação na capital Sul Coreana se esgotaram em dois minutos).

Além disso, episódios curtos de um Reality Show com o trio, foram divulgados pela empresa e sua versão completa tem previsão de lançamento em DVD para Março ou Abril.

Questionados sobre toda essa atividade envolvendo o grupo, membros da C-Jes esclareceram que foi produzido bastante material com eles antes do alistamento dos membros para que tal material fosse lançado durante o período de afastamento dos rapazes e mantivesse acesa a chama no coração de seus fãs. E parece estar dando certo já que os álbuns tem figurado entre os principais charts asiáticos e o álbum de JaeJoong além de conseguir colocações como 2º e 3º lugar nos hankings semanais do Musik Bank, apareceu inclusive na lista da Billboard. E a C-Jes Entertainment quer mais, muito mais agora que os preparativos para o alistamento de Kim JunSu (XIA) também já foram iniciados.

Que os fãs estão felizes é inegável (a Cassie que vos escreve solta fogos desde os anúncios) resta saber agora se a ‘moda’ pega. Estariam os eternos Deuses do Kpop reescrevendo a história desse momento “sombrio” na carreira de qualquer Idol? Só o tempo dirá! Por hora… tto bwayo!!!  (^o^)/