Sucesso que ainda reverbera

Sucesso que ainda reverbera

689
0
COMPARTILHE

Annyeong! Para além do Kpop e dos meus tão amados Musicais, a Coreia do Sul também é famosa por outro tipo de produção de entretenimento: os Doramas (dramas numa pronúncia baseada na asiática).

Exibido recentemente, o drama “Descendants of the Sun” vem sendo considerado sob diversos ângulos, um dos maiores sucessos dos últimos anos. Com estética, ritmo e produção que diferem quase que por completo dos doramas tradicionais, a produção parece apontar novos horizontes e acrescentar aspectos às clássicas novelinhas Sul Coreanas que tem ganho cada vez mais território no mundo.

4627_DescendantsoftheSun_Nowplay_Small

Refletindo a vida, as historias retornam sempre e repetidamente a três importantes temas: amor, morte e obrigação. Hit televisivo da KBS, o drama “Descendants of the Sun” engloba estes três temas de forma extremamente impactante e assim alcança extrema popularidade internacional mesmo não sendo um dos mais típicos dramas coreanos. A historia do romance entre um jovem porém frio capitão das Forças Especiais Sul Coreanas e uma bela, idealista médica militar em meio ao perigo e desespero de um país ficcional chamado Uruk, desolado pela guerra cativou as audiências não apenas na Coreia mas também China, Japão, Tailândia entre outros países asiáticos. Na Tailândia, o próprio Primeiro Ministro se considera um fã.

6dcbcd572769520c5dadc4b52b0ff2cb0

Descendants of the Sun” construiu seus pilares numa quebra da produção tradicional de dramas, de forma que mais parece um filme do que uma atração televisiva. O drama foi totalmente escrito, filmado e editado antes de ir ao ar e produzido sob um custo de aproximados 12 bilhões de Won (cerca de 10,8 milhões de dólares).

Todos estes recursos servem intimamente à historia entre uma mulher que dedica sua vida a salvar outras vidas, independente das barreiras e antipatias nacionais, e um homem treinado para matar a serviço de seu país. O enredo prende o espectador do início ao fim de cada episódio num ritmo de ação digna de Hollywood.

Grande na China

Tudo isso teve um impacto bastante forte com os expectadores chineses onde “Descendants of the Sun” conquistou bilhões de acessos no site de video-streaming iQiyi e causou tumulto o bastante para que o Ministério de Segurança Pública Chinês emitisse um aviso sobre riscos de vício e danos a visão por conta das excessivamente entusiasmadas visualizações, principalmente para o público feminino “seriamente doentes de amor pelo ator coreano” Song JoongKi que estrela o drama tendo saído recentemente de seu serviço militar na vida real, o que me parece ter sido uma excelente escolha.descendants-of-the-sun-actors

Desde “My love from the stars”, drama de cerca de dois anos atrás, onde um alienígena que, após viver por séculos na Terra acaba se apaixonando por uma famosa atriz, nenhum outro drama sul coreano havia alcançado tamanho sucesso em ambos os países, China e Coreia.

O trabalho dos atores parece ser mais um dos pontos de extrema importância aqui. Pessoas habituadas à forma como atores e atrizes ocidentais desempenham seus papéis, tem extrema dificuldade em compreender os motivos da atuação nos doramas parecer tantas vezes forçada e robótica. A questão aqui é que a além dos trejeitos e das questões culturais, a forma de atuação se encaixa também à estética de uma produção. Descendants se parece bastante com uma produção ocidental neste sentido também. As situações propostas pelo drama exigem que os atores sejam convincentes e eles o são (mas lembrem-se: exite aqui, ainda assim a questão cultural/comportamental do povo sul coreano.)

dab52d9d-0738-40ff-9a82-cc1c3150043d

Não se trata de uma descaracterização da estética oriental e sim, uma adaptação a este momento em que mais uma vez, a Coreia ganha o mundo.

Parece que ainda ouviremos muito a respeito deste drama e em nível de qualidade, é bom que as mudanças sejam passadas adiante. Os dorameiros de plantão agradecem! Tto bwayo!!!!! =^u^=

*Algumas informações tiveram como fonte a KOREA Monthly Magazine em matéria assinada por Collin Marshall.

Tradução: Shuiichi Duh.